O PADRE QUE SALVOU UM TESOURO CULTURAL IRAQUIANO COM UM TERÇO NA MÃO

Clique aqui para comentar esta publicação




Najeeb Michaeel é um monge Dominicano que costumava ir à cidade iraquiana de Mosul. Ele passava seus dias no mosteiro digitalizando manuscritos históricos raros. Em 2014, quando o grupo do Estado islâmico estava prestes a tomar Mosul, Najeeb sabia que esses artefatos seriam destruídos se caíssem nas mãos dos jihadistas. Ele contou como conseguiu contrabandear milhares de documentos preciosos para fora da cidade antes de fugir. Alguns deles foram expostos no Arquivo Nacional da França, em Paris.

“Salvar a memória foi um ato da Providência, explicou ele. Não foi programado. Eu estava em Mosul quando o ISIS avançou sobre a cidade. Eu tinha regressado para completar a bibliografia de minha tese de doutorado (na Universidade de Friburgo, na Suíça). Ajudado por dez jovens de nosso Centro Numérico de Manuscritos Orientais, selecionamos textos e fotos antigas, enrolamos em papelões e empacotamos em caixas. Havia documentos em dez línguas e sobre vinte temas diversos. Havia exemplares antigos da Bíblia e do Corão, textos sobre história, teologia, filosofia, astronomia, astrologia, medicina de plantas, gramática e dicionários, todos manuscritos. Além desses documentos, também salvamos as câmaras com que os digitalizamos e os discos rígidos dos computadores, mas perdemos tudo o que foi deixado em Mosul.”


LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA:



***

VEJA, NESTE VÍDEO, ALGUNS DOS DOCUMENTOS QUE FORAM SALVOS: 


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário