MONSANTO: LUCROS DESABANDO! UMA REVOLUÇÃO?

Clique aqui para comentar esta publicação




A queda é impressionante. E isso é explicado em parte por razões econômicas e principalmente pelo reflexo de que nosso mundo enfim está mudando!

A Monsanto sendo provavelmente uma das multinacionais mais odiadas no planeta, aí está uma novidade que deveria alegrar alguns: a gigante da biotecnologia agrícola acaba de anunciar uma queda recorde em seus lucros (25%)!

Uma informação dramática e inesperada que implica outra novidade bem mais importante ainda: os agricultores, assim como os consumidores, parecem enfim fugir de tudo o que está relacionado com OGM (organismos geneticamente modificados), pesticidas e herbicidas! Detalhes e explicações.

A empresa anunciou que seu lucro tinha caído em 25% no segundo trimestre de 2015. Uma queda dramática causada principalmente pela queda na demanda por OGM, mas também pelo arrefecimento do público para com o famoso Roundup (nome comercial de um herbicida fabricado pela Monsanto cujo princípio ativo é o glifosato), o principal produto da Monsanto.

Ao explicar sua má performance, a Monsanto menciona a condição desfavorável para a agricultura. E não podemos discordar completamente (a subida do dólar e a instabilidade do mercado, por exemplo, têm sido claramente desfavoráveis). Mas outras razões, mais profundas do que estas, não podem ser ignoradas:

- A demanda por alimentos orgânicos é crescente e nada indica uma desaceleração desta tendência.
- A empresa está ciente dos estragos dos pesticidas e herbicidas na nossa saúde e no nosso meio ambiente.
- Cada vez mais agricultores estão se voltando para sementes não modificadas geneticamente.
- A imagem da marca Monsanto está em baixa.

Sinal concreto desta profunda transformação que parece cada vez mais uma tomada de consciência: as vendas do herbicida Roundup encolheram em 34% no quarto trimestre 2015! E, em princípio, elas não estão perto de uma retomada: na França, este produto será definitivamente banido da agricultura em 2019.

Assim, a empresa já redimensiona seu grupo: segundo a Reuters, 2.600 postos serão eliminados no mundo, ou seja, 16% do total de funcionários.

Então, realmente, o fim da Monsanto certamente não é para amanhã: mesmo caindo em 25%, os lucros da multinacional ainda são de bilhões de dólares. Mas a tendência parece irreversível: estamos menos propensos a querer engolir produtos geneticamente modificados e/ou pulverizados com produtos químicos como pesticidas e herbicidas. E isso é uma grande notícia!

Nossos políticos não querem interditar os produtos suspeitos que encontramos em nossa alimentação? Não importa! No mundo de hoje, aqueles que fazem a lei somos nós, os cidadãos/consumidores: paremos de comprar e as empresas irão parar de produzir!




******


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário