A DROGA DA CRENÇA EM MASSA: Um veneno para a alma - por Henk Leene - C.R.O.M.

Clique aqui para comentar esta publicação





A DROGA DA CRENÇA EM MASSA: Um veneno para a alma

Autor: Henk Leene

 “Todas as coisas que impedem o homem de ir para si mesmo, de se conhecer ou de se confrontar consigo mesmo, são drogas.”



O homem não foi feito para ser um animal que vive em bando, ele foi criado como um individuum, um mundo em si mesmo - o que o esoterismo chama de microcosmo. Tudo o que o homem procura fora dele, está nele. É por isso que quando o homem se perde na religião em massa, isso vai contra o desenvolvimento espiritual.

Se vocês chegaram a estar por acaso em alguma manifestação, vocês puderam notar a que ponto um movimento em massa desenvolve a magia. Uma magia que seduz os participantes e que ganha o público, que encapsula a sua individualidade e os faz realizar coisas que nunca poderiam fazê-lo fora desse contexto!

A concentração emocional da multidão forma uma cúpula etérea que fica sobre os participantes e que remove a possibilidade de pensar de todos aqueles que ficam presos embaixo.

O pensamento individual surge a partir da interação entre o campo etéreo e o organismo do pensador. Quando, pela concentração em massa, o campo etéreo individual é apagado, o indivíduo dificilmente pode formar as suas ideias.

O seu pensamento é então alimentado automaticamente pelo campo etéreo que a multidão construiu. E em tal campo encontra-se todos os campos de pensamento nivelado, onde cada um recebe o seu alimento. É por isso que as assembleias religiosas levam a um enfraquecimento da vontade.


A ilusão do bem e do mal

Há pessoas que acreditam que a vida espiritual consiste em cumprir deveres prescritos pelas organizações a que aderem. Elas tentam orientar o máximo possível o seu caminho para o que é considerado virtuoso por essas organizações.

No entanto, este é um conceito ilusório. É como se alguém quisesse forçar a natureza para produzir a luz do dia, sem a escuridão da noite na qual cada semente pode crescer. Pois, na verdade, a luz e as trevas, a virtude e o vício, são equivalentes entre si. Não podemos forçar o homem a ser apenas virtuoso. O seu carácter natural produz dois aspectos: o bem e o mal.

O mal é simplesmente o lado "sombrio" da luz, a não ser que isso se degenere até a malignidade, até o satanismo. Mas o bem pode também descarrilar e chegar a querer tomar conta de tudo e causar muito dano. Lembre-se de que "o inferno está cheio de boas intenções"!

Cada um julga ser bom o que, segundo ele, não tem efeitos ruins. E cada um julga ser errado o que lhe causa desconforto. E, no entanto, se o homem soubesse como as suas profissões de fé, aparentemente "boas", podem causar danos para a alma...

Entretanto, a pior coisa que pode acontecer para a alma é tirar a sua independência. Os homens dependentes - e, no plano espiritual, todos os crentes são - não podem alcançar a Sabedoria. Todos os crentes servis não possuem poder. E este poder que foi roubado deles é justamente o que eles deveriam possuir para realizar o processo de regeneração espiritual.


Recuperar a força da alma

É a Força que é necessária ao aspirante alquimista. O processo da transmutação requer um esforço individual intensivo. "Eu posso fazer todas as coisas através da Força que Cristo me dá" é uma citação bíblica que é popular nos círculos evangélicos. Mas o Espírito é destinado ao indivíduo - e não para a massa!

A fé é um poder que o indivíduo adquire pela persistência nas provas. A massa, ela, absorve o campo de vibrações que lhe foi preparado pelos outros. O que preenche o campo da massa não é o Espírito, pois ele não interage com escravos!

Uma assembleia religiosa pode ser tão frenética quanto os fãs de futebol. Isso pode despertar incontáveis nuances emocionais, indo do medo à alegria, do ódio ao amor, do desprezo à veneração. Para o mágico consciente, isso não é difícil, pois a massa sempre é um joguete das suas emoções.

Mas é bem diferente quando queremos alcançar o indivíduo e queremos furar a sua armadura com esta mensagem: ele deve, por si só, espiritualizar-se! Isso é tornar o homem consciente do seu poder.

Se não podemos transmitir a fé, podemos semear a dúvida - e a dúvida pode levar a um despertar. O servo-crente não se atreve a ver a dúvida na cara, porque ele não tem a certeza interior.

Em contrapartida, o Espírito impulsiona aquele que empreendeu a Grande Obra através de todas as dúvidas. Ele jamais irá se desorientar, mesmo quando todos os valores caírem em torno dele - até mesmo os chamados valores espirituais!


Conclusão

Tudo o que é praticado em massa é desastroso.

Nem a criança nem o adulto foram criados para se tornarem indivíduos gregários - se bem que os séculos os transformaram em tais bestas. Vocês devem ficar fora do burburinho da massa. Vocês devem ousar.

Uma das Virtudes originais é a Coragem - a "Boa Coragem", diz a Língua sagrada. O homem deve possuir esta Coragem para poder ir contra a maré da massa - e a Boa Coragem implica em flexibilidade, em resistência, em esperança e em uma confiança imortal no Espírito.

Aquele que conhece o Espírito assume o poder do individuum nas suas mãos e se aventura em tudo - pois ele sabe que a Força sempre está presente.


******

Publicado em 07 de janeiro de 2014.

***

Tradução e postagem: Portal dos Anjos e das Estrelas de Luz


******



Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário