BILL GATES QUER UM “GOVERNO MUNDIAL” PARA SALVAR O PLANETA

Clique aqui para comentar esta publicação



Bill Gates quer um “Governo Mundial” para salvar o planeta

Publicado em 29 de janeiro de 2015


O bilionário Bill Gates pediu a criação de uma “espécie de governo mundial”, esta semana, argumentando que a criação de tal sistema seria necessário para combater os principais problemas como a “mudança climática”.

Entrevistado terça-feira pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung, Bill Gates lamentou o fato de que um sistema eficaz das Nações Unidas tenha falhado para se materializar como planejado.

 “Vocês podem rir, mas, na verdade, foi triste constatar a maneira com que a conferência de Copenhague foi gerida, como as pessoas representando o sistema das Nações Unidas fracassaram”, disse Gates em uma tradução em inglês no The Huffington Post.

Gates prosseguiu enfatizando ainda mais a sua posição, afirmando que um governo mundial era um “mal necessário” para combater uma série de questões que afligem o planeta.

 “Olhem para a ONU, ela foi criada especificamente para a segurança no mundo. Estamos prontos para a guerra, pois nós tomamos todas as precauções. Nós temos a OTAN, nós temos divisões, jipes, pessoas treinadas”, disse Gates. “Mas o que dizer das epidemias? Será que temos tantos médicos como aeronaves, tendas, e incluindo os cientistas? Se tal coisa como um governo mundial existisse, estaríamos melhor preparados.”

O bilionário foi manchete na semana passada, depois de apresentar o seu plano para implementar um sistema sem dinheiro líquido em vários países do Terceiro Mundo, um programa que inevitavelmente iria permitir um controle total dos sistemas monetários pelas elites financeiras.
(…)
Os líderes mundiais nada têm feito senão pedir a criação de uma “nova ordem mundial” nas últimas duas décadas.


Fonte: Infowars, 28 de janeiro de 2015, visto em: 


******

Fonte do texto:

***

Tradução e postagem: Portal dos Anjos e das Estrelas de Luz

******


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário