*Dezenas de milhares de crianças de Primeira Nação morreram em escolas residenciais*

Clique aqui para comentar esta publicação


*Dezenas de milhares de crianças de Primeira Nação morreram em escolas residenciais*
Nota: Primeira Nação é o termo contemporâneo para "índio"
(ver referência no final do texto).


Os registros da morte de dezenas de milhares de crianças de Primeiras Nações que morreram durante a época em que escolas residenciais estavam operando no Canadá, foram entregues à Comissão de Reconciliação e Verdade.


Vários governos provinciais entregaram os registros à comissão, que terá agora que cruzar as informações com a lista de alunos para determinar quais crianças morreram enquanto aos cuidados das escolas dirigidas pela igreja e onde elas poderiam ter sido enterradas.

"Nós ouvimos os sobreviventes que perderam entes queridos nas escolas e que não sabem do seu destino atual, o que aconteceu com eles, se eles morreram e, se eles morreram, onde estão enterrados", disse Kimberley Murray, Diretor Executivo da comissão. "É uma verdade importante que eles precisam obter, antes de poderem avançar para a reconciliação."

British Columbia abriu os canais com a liberação de 4.900 registros de morte de crianças de 4 a 19 anos - o primeiro lote há alguns meses e o último na sexta-feira.

O secretário geral da província, que é encarregado da estatística demográfica, apelou aos colegas de todo o país para abrirem seus arquivos, também, e Alberta, Nova Escócia e Nova Brunswick seguiram o exemplo.

Manitoba, Ontário e os territórios estão trabalhando com a comissão na libertação dos seus registros, disse Murray.

Cerca de 150.000 crianças de Primeiras Nações, Inuits (esquimós) e Metis (de etnia mista), foram para escolas dirigidas pela igreja, a última das quais fechou em 1996.

Muitas crianças nunca voltaram para suas casas, de acordo com a comissão. Algumas fugiram, algumas morreram.

"Muitas vezes, os pais e as famílias nunca foram informados do seu desaparecimento ou da sua morte", disse a comissão no ínterim de um relatório.

No termo de acordo de escolas residenciais, apenas o governo federal e as igrejas são obrigados a fornecer documentos à comissão. As províncias não são, mas colaboraram bastante quando solicitadas, usando os seus próprios recursos na busca de arquivos, disse Murray.

Em B.C., onde até 1956 os registros de morte eram segregados e o formulário oficial era para a "Morte de Um Índio," os funcionários foram capazes de diminuir o registro de crianças de 4 a 19 anos. Eles cobrem o período de 1870 a 1984, quando a última escola residencial fechou suas portas na província.

LEIA TAMBÉM: Nação Roubada
“Durante mais de 20 anos, o Canadá tirou crianças nativas de suas casas e os colocou com famílias brancas. Agora uma geração perdida quer a sua história de volta.”

Alberta forneceu à comissão 10.000 registros esta semana para pessoas das Primeiras Nações que morreram entre 1923 e 1945, embora a agência não pudesse limitar o material somente para crianças.

New Brunswick localizou um monte de registros e a Nova Escócia entregou recentemente 125 registros. Ontário será, de longe, o maior arquivo, uma vez que teve o maior número de escolas, disse Murray.

Os registros irão ajudar a comissão do Projeto de Crianças Desaparecidas, que tem como objetivo identificar todas as crianças que morreram nas escolas residenciais. Essa lista tem 4.000 nomes e avaliações.

LEIA TAMBÉM: Canadá: Isso não pode ser denominado nada menos do que Genocídio

"A informação nos certificados é útil porque nós podemos saber de uma morte, mas nós não sabemos o nome. Podemos ter um registro que diz 'uma menina de 13 anos de idade morreu neste dia’, mas eles não dão o seu nome e, então, nós temos a certidão de óbito e a menina. É como um processo emparelhado", disse Murray.

"Nós estamos descobrindo novas mortes que não conhecíamos e nós estamos encontrando informações adicionais sobre as mortes que desconhecíamos."

John Rustad, Ministro das Relações Aborígines de B.C., disse que a reconciliação é um movimento coletivo.

"Fornecer esses dados é uma maneira de continuar melhorando o relacionamento entre os aborígines e não aborígines canadenses e uma oportunidade à província de British Columbia para dar uma contribuição a fim de sanar a terrível ferida deixada pelas escolas residenciais de Índios", disse Rustad em um comunicado de Edmonton.

A comissão lamentou a falta de cooperação por parte do governo federal em entregar os registros, mas Murray disse que isso tem melhorado desde que a comissão venceu um processo judicial sobre o assunto há um ano.

A equipe da comissão teve acesso para pesquisar os registros de Saúde do Canadá, a RCMP e Assuntos Indígenas. Todas as agências têm cooperado, disse Murray.

A comissão recebeu uma prorrogação de um ano do seu mandato original de cinco anos, e um relatório está agora previsto para junho de 2015.


************

Nota: Esta nota sobre terminologia ajuda a mídia e o público em geral a entender o uso apropriado dos termos Inuit, Metis e Primeira Nação:

***

Por: Dene Moore

********
Tradução para o português
Zulma Peixinho
************
Edição e postagem
Andrea Protzek
************
Referência: 
Adjudicação no Boletim de Informação Pública No. 2 - Atualização do Gabinete da Procuradoria do Cidadão (Adjudicação no Caso do Papa: Tráfico Internacional de Crianças e Assassinato
Clique aqui: http://portaldosanjos.ning.com/group/jornalcelestial/forum/topics/adjudicacao-no-cboletim-de-informacao-publica-no-2-atualizacao-do

***
ALGUÉM ACREDITA QUE HAVERÁ PRESOS? Jamais a NOVA ORDEM MUNDIAL vai permitir isso:

Rainha Elizabeth II encontra com o Papa Francisco no Vaticano & Dia sete de abril começa a acusação dos acusados por terem cometido crimes contra a Humanidade e contra crianças & ATUAL PAPA TAMBÉM TERIA PARTICIPADO DO GENOCÍDIO & Encobrimento de genocídio agora pública do Vaticano & DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...
Bergoglio também teria participado do evento genocida Mohawk. A Ordem dos Jesuítas estabeleceu o sistema escolar residencial na América do Norte em meados do século 19, e tem levado a destruição e morte de milhões de não-católicos de todo o mundo desde o seu início em meados do século 16. Sob um juramento secreto administrado a todos os membros, os jesuítas são autorizados e incentivados a matar, torturar ou derrubar qualquer adversário do Vaticano e do Papa. Estes fatos, as alegações argentinas, e sua cumplicidade na conspiração global contra crianças enunciados na lei canônica Crimen Sollicitationas, torna o novo Papa potencialmente suscetível a prisão e condenação sob a lei internacional, a exemplo dos outros condenados. O ITCCS entende que a eleição de Jorge Mario Bergoglio foi um arranjo rápido para arrumar um “bode expiatório” à frente da instituição do Vaticano, poupando Bento XVI, que seria uma figura indispensável na agenda Illuminati. Bergoglio, portanto, também está sujeito à prisão imediata, nos termos da Ordem Common Law Tribunal de 5 de março de 2013, emitido pelo Tribunal de Direito Comum Internacional de Justiça sob a autoridade do jus gentium , a Lei das Nações, e do Estatuto de Roma do Tribunal Penal. A condenação de Bergoglio também envolve crimes contra a humanidade e de envolvimento em uma conspiração criminosa global com sede em Roma (Agenda Global Illuminati), em plena cooperação da Ordem dos Jesuítas (continuidade moderna dos antigos Cavaleiros Templários).
LEIA A POSTAGEM COMPLETA 
AQUI
*******
TENTARAM PRENDER A RAINHA ELIZABETH EM ROMA
"Hoje (03.04.2014), dois xerifes devidamente nomeados do nosso escritório tentaram aplicar o mandado de detenção do Cidadão (ICLCJ Tribunal Despacho n º 02252013-004, datada 04 de marco de 2013) contra Elizabeth Windsor aka Rainha Elizabeth II durante a sua presença em Roma, e trazê-la para custódia como uma criminosa condenada e foragida da justiça."
O encontro da rainha com o papa não foi no Vaticano, nem mesmo no Domus Santa Marta (Casa Santa Marta, próxima do Vaticano, residência privada do 'papa'): tal encontro ocorreu em local desconhecido.
***
NOVIDADES SOBRE A ACUSAÇÃO DO PAPA
Uma atualização do Tribunal Internacional de Justiça de Direito Comum no início do julgamento do Papa Francisco e outros

07 abril de 2014, em Bruxelas (GMT)

Na véspera do início da primeira sessão fechada da acusação do Papa Francisco e outros por tráfico de crianças e assassinato, a Agência de Informação Pública do Gabinete do Promotor anunciou hoje que o Tribunal estará emitindo uma Proclamação legal obrigatória de enorme significado global e histórico no domingo de Páscoa, 20 de abril de 2014.

Esta Proclamação está sendo emitida em conjunto com as mais altas autoridades legais e espirituais sob a Lei do Divino e do Homem, com base em novas provas surpreendentes compiladas pela Acusação sobre os crimes e a própria natureza da chamada Igreja de Roma.

Por favor, siga www.itccs.org para mais informações nos dias antes da Páscoa, quando o julgamento prossegue.

http://itccs.org/2014/04/07/update-at-the-commencement-of-the-trial-of-pope-francis-and-others/
****

Kevin Annett denuncia al Papa Francisco y a la Reina Isabel (07/02/2014)

http://youtu.be/wjNxOLjwuQM
Créditos: canal de Periodismo Alternativo·
 ****

Adjudicação no Boletim de Informação Pública No. 2 - Atualização do Gabinete da Procuradoria do Cidadão (Adjudicação no Caso do Papa: Tráfico Internacional de Crianças e Assassinato


Clique aqui


****

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário