'ESCATOLOGIA - REVELAÇÕES O Fim de Um Tempo Segundo o Apóstolo João'

Clique aqui para comentar esta publicação




20/11/2012

REVELAÇÕES
O Fim de Um Tempo Segundo o Apóstolo João
pesquisa, interpretação e texto: Lygia Cabus

O Fim de um Tempo,o Apocalipse segundo as profecias do apóstolo João é descrito em poucas páginas repletas de alegorias, simbolismos. Porém, parece bastante óbvio que estas poucas páginas referem-se um longo processo de transformação, sucessão de eventos e decadência que envolve a dinâmica do Cosmo combinada com as escolhas dos Homens. E ̶ Longo, aqui, significando muitas décadas.
A totalidade dos eventos parece estar dividida em três partes principais:

1. A ação dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse 
2. O toque das Sete Trombetas 
3. As Sete Taças da Cólera de Deus
A análise desapaixonada destes conjuntos de sinais conduz à constatação de que o processo do Apocalipse, no que se refere à parte das tragédias resultante da ação humana, já está em curso há muito tempo.
É possível até arriscar a determinação do começo dos eventos decisivos que conduziram e que que continuam conduzindo a Humanidade através de um caminho sem retorno que conduz a um precipício e, em termos de História acadêmica, este ponto de partida localiza-se naquele período de progresso científico e tecnológico que é chamado de Revolução Industrial ou seja, a partir de meados do século XVIII (anos de 1700).
Explicar essa teoria em minúcias exigiria um tratado e, considerando que este texto se propõe a ser somente um artigo em uma revista a ideia será exposta o mais resumidamente possível.

O CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL
Recorrendo uma imagem da bíblia judaico-cristã é possível afirmar que foi com o advento da Revolução Industrial que esta Humanidade começou a colher a safra mais abundante de frutos da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal [citada no Antigo Testamento, Livro do Gênesis].
Foi a partir daquela época histórica que o Conhecimento, ou seja, Ciência e Tecnologia começaram a produzir mudanças radicais na Civilização.
Os cientistas descobriram segredos da Natureza e inventaram numerosas maravilhas tecnológicas em todas as áreas das atividades e interesses humanos: produção de bens de consumo, comunicações, transportes, medicina. Porém, as descobertas e invenções dos cientistas NÃO FORAM administradas por cientistas mas, caíram nas mãos dos homens de negócios, os comerciantes de tudo, os vendilhões do templo.

As profecias de Fim de um Tempo, não somente na Bíblia mas nos textos de muitos profetas, compartilham, todas elas, visões de:
1. catástrofes naturais deflagradas pela interação de fatores cósmicos e terrenos;
2. desastres ecológicos, em boa parte causados pela ação do Homem;
3. conflitos sociais, econômicos, políticos, desde a violência urbana, até as guerras civis e entre nações.
4. eclosão de pestilências: surtos de novas doenças, pandemias.

Hoje, é muito claro o fato de que os recursos resultantes dos avanços científicos e tecnológicos que começaram a surgir no contexto da Revolução Industrial foram administrados, no mínimo, de maneira irresponsável; na pior da hipóteses, de forma criminosa.
Com os olhos fixos no lucro, no próprio enriquecimento material, políticos e empresários não hesitaram em construir seus impérios explorando impiedosamente, predatoriamente - os Recursos Humanos e os Recursos Naturais.
Pobreza e desigualdade sempre existiram na face da Terra, no seio da Humanidade mas, vida indigna e miserável de enormes contingentes populacionais, os chamados "bolsões de miséria" que existem em todo o mundo, isso é uma aberração sem precedentes resultante dessa administração desumana dos recursos gerados pela ciência e tecnologia,na contemporaneidade e na pós-modernidade.
A falta de respeito pelas criaturas alcança todos os Seres que habitam este planeta. A imundície e a crueldade dos Senhores do Progresso fere e mata a Natureza como um todo. Sem escrúpulos, gerações de governantes mundiais permitiram e continuam permitindo o envenenamento e morte das águas, do solo, do ar, de todos os seres vivos que compartilham este globo e, ainda permitiram o envenenamento da mente e a morte da essência do ser humano, promovendo uma espécie de regressão noética das maioria das pessoas à um estado de bestialidade envernizada.
Neste começo de segunda década do século XXI, o cenário do mundo dos homens é feio, vergonhoso, deprimente, injusto. São monumentos de luxo cercados por oceanos de lixo.
A catástrofe natural é previsível e inevitável. Ninguém pode deter a a dinâmica e a interação dos corpos celestes. Porém, minorar as seqüelas das catástrofes SERIA possível. Contudo, é tarde demais. Porque NÓS não produzimos apenas fumaça demais, detritos demais, resíduos tóxicos demais que são despejados no meio-ambiente. Nós, produzimos gente demais! Poderíamos ter controlado isso mas não era interessante para os mercadores se ocupar dessa questão.

A Revolução Industrial trouxe consigo a Revolução Sexual e esta, transformou-se a disseminação da Promiscuidade sem controle. Foi uma negligência fatal.
A elevação do nível das águas, as mudanças climáticas, as tempestades solares não podem ser detidas. A trajetória dos meteoros não pode ser desviada porém seria muito fácil salvar e resgatar uma população de um bilhão de pessoas educadas do que um contingente de sete bilhões de ricos e pobres, todos eles, cada qual à sua maneira, miseráveis ignorantes. Isso é uma tragédia, isso é o fim, é o beco sem saída. Isso, é o Apocalipse.

OS SINAIS DO APOCALIPSE
O Apocalipse já começou. Significa: o começo de UM FIM já está acontecendo mas a percepção embrutecida da maior parte dos indivíduos da espécie humana é incapaz de se dar conta disso. Há muito estão em marcha. O abismo aproxima-se. Ninguém nota.
Poucos detiveram um segundo suas mentes ocupadas com a fome de coisas do mundo, poucos desviaram o olhos do espelho de Narciso para perguntar: onde estamos indo? Poucos notaram a presença devastadora dos quatro cavaleiros que anunciam a desgraça. Porque, segundo o livro do apóstolo João, os primeiros sinais de fim de festa começa com eles:

OS QUATRO CAVALEIROS DO APOCALIPSE


Os eventos profetizados nas Revelações do apóstolo João começam com a abertura de um livro lacrado com sete selos. O rompimento destes selos, um a um, deflagram os acontecimentos que anunciam o Fim do Tempo desta Humanidade ou Civilização. Os quatro primeiros selos convocam os famosos quatro cavaleiros do Apocalipse:
Primeiro Selo - Primeiro Cavaleiro - O Primeiro cavaleiro, nessa sua primeira aparição (é o único que aparecerá uma segunda vez, no capítulo 19), nessa sua primeira aparição, é um Mistério. Os atributos que definem sua missão não são mencionados e sua identidade somente será revelada no capítulo 19. Em seu cavalo branco, usando uma coroa e portando um arco dele é dito somente que ...partiu como um vencedor para tornar a vencer. Apesar do enigma, pode-se deduzir que este cavaleiro é o líder da missão de todos os agentes celestiais do apocalipse. 
Segundo Selo - Segundo Cavaleiro - O segundo cavaleiro monta um corcel vermelho e seu atributo é espada. é o regente da GUERRA.  
Terceiro Selo - Terceiro Cavaleiro - O terceiro selo liberta o cavalo negro, guiado pelo guerreiro que personifica a FOME. 
Quarto Selo - Quarto Cavaleiro - Na abertura do Quarto selo surge o Senhor da MORTE. Seu cavalo é verde e suas armas são as Pestes, as doenças e todas as misérias que acompanham estes males.


 Four Horsemen of Apocalypse, 1887 - por Viktor M. Vasnetsov (1848-1926)


O QUINTO SELO promove o despertar e a reunião de todos os mártires que morreram em nome de Deus, porque cumpriam as Leis de Deus, porque seguiam os ensinamentos do Cristo. Esses espíritos clamam por Justiça.Com o rompimento do SEXTO SELO, tem início a série de catástrofes cósmicas, climáticas e geológicas que marcarão todo o período do Apocalipse. Seus sinais são eclipses solares, terremotos, maremotos e "chuva de estrelas - queda de meteoritos. Finalmente, o SÉTIMO SELO, autoriza a seqüência de toques das SETE TROMBETAS e a instauração de um verdadeiro caos planetário.

AS TROMBETAS DO APOCALIPSE
São sete e estão relacionadas no Livros das Revelações do Apóstolo João, parte integrante do chamado Novo Testamento. As trombetas, tocadas por anjos, do Apocalipse anunciam o fim de um Tempo para a Humanidade. Cada uma das seis primeiras é o sinal que deflagra uma catástrofe. A sétima e última, anuncia o recrudescimento de todas as convulsões e o começo de uma violenta batalha.

  • PRIMEIRA TROMBETA: Chuva de gelo (granizo) e fogo misturados com sangue. Queima uma terça parte da Terra, um terço de todas as árvores e toda a vegetação.
  • SEGUNDA TROMBETA: Cai no mar uma imensa rocha ardendo em fogo - como uma grande montanha. Um terço do mar é tingido de sangue com a morte de um terço das criaturas marinhas e o naufrágio de um terço dos navios.
  • TERCEIRA TROMBETA - ABSINTO: Novamente, cai uma grande estrela ardente. Esta é aquela chamada Absinto, envenena as águas doces, de rios, fontes e lagos e muitos homens morrerão por beber dessas águas envenenadas.
  • QUARTA TROMBETA: Convulsão cósmica atingindo o Sol, a Lua e um terço das estrelas, mergulhando o mundo em sombras.
  • QUINTA TROMBETA: Mais uma estrela cai na Terra e esta, trás consigo a chave do Abismo. E assim, abre-se o Abismo liberando..."fumaça como de uma grande fornalha". A fumaça torna os dias ainda mais escuros e dela saem gafanhotos tão peçonhentos quanto os escorpiões. Esses gafanhotos não atacam as ervas ou qualquer planta, mas somente os homens que não têm o ..."selo de Deus na fronte". Não vão matá-los, mas afligi-los por cinco meses. Naqueles dias, os homens buscarão a morte mas não a conseguirão; desejarão morrer, e a morte fugirá deles. Esses gafanhotos são como cavalos paramentados para a guerra. Na cabeça têm uma coroa dourada e seus rostos são humanos, possuem longos cabelos, dentes de leão, caudas de escorpião com terríveis ferrões. São comandados pelo Anjo do Abismo, a Grande Besta, o Dragão: Abadon (ou Apolion).


  • SEXTA TROMBETA: Esta trombeta liberta quatro anjos que estão acorrentados à beira do rio Eufrates. Eles esperam, desde a criação desta Humanidade, o momento de matar um terço dos homens. Sob suas ordens estão duzentos milhões de guerreiros montados em cavalos encouraçados azuis, com juba de leão e de cujas narinas são expelidos fogo e fumaça de enxofre. Suas caudas são feitas de mortíferas serpentes.
  • SÉTIMA TROMBETA: Mesmo depois de tanto tanto infortúnio e dor, a maioria das pessoas não reconhecerá seus próprios erros. Os sobreviventes continuarão praticando as maldades que tornaram-se regra na conduta humana: o egoísmo, do qual emergem todos os tipos de corrupção, perversão - "imundícies" - roubos, homicídios.


Então, um anjo gigantesco desce do céu: sua coroa é um arco-íris, seu rosto é como o Sol. Fincará o pé direito no mar e o esquerdo na terra. Ele escolhe duas "testemunhas". São profetas que falarão aos homens durante 1,260 dias [ou seja cerca de 42 meses e meio - três anos e 6 meses].
Os profetas terão o poder de fechar o céus para que não caia chuva durante dias; de transformar água em sangue e ferir a terra com todo o tipo de flagelos [Apoc. 11:3]. Porém, quando terminarem de transmitir suas mensagens, a Grande Besta, emergirá do Abismo [que foi aberto pela que da da estrela da QUINTA TROMBETA.

A GRANDE BESTA MATARÁ OS PROFETAS. Seus corpos serão expostos em Jerusalém, em todo o Oriente Médio, até o Egito. As multidões vão comemorar a morte desses profetas porque o quê eles diziam tudo o que os maus não querem ouvir; suas palavras eram tormentos.
Depois de três dias e meio de festas malditas, os profetas ressuscitarão e o terror cairá sobre aqueles que festejaram. Como mártires resgatados, os profetas subirão ao céu em uma"nuvem" diante de seus inimigos. Neste momento, a terra será sacudida por um forte terremoto e sete mil serão os mortos. Os sobreviventes, cairão de joelhos diante do poder de Deus. Então... O SÉTIMO ANJO TOCARÁ A SÉTIMA TROMBETA.


A MULHER REVESTIDA DE SOL -  Esta é a passagem do Livro do Apocalipse de João na qual aparece uma personagem misteriosa de difícil interpretação: A mulher revestida de Sol. Ela, assim como a sétima trombeta, é o sinal da etapa seguinte. O TOQUE DA SÉTIMA TROMBETA desencadeará uma tempestade de gelo (granizo), trovões, relâmpagos, vozes e mais terremotos abalarão todo o planeta. E HAVERÁ UMA BATALHA NO CÉU. Os anjos de Deus lutarão contra os exércitos da Besta do Abismo ou O Dragão.
A verdadeira identidade da Besta é revelada: ela é o Adversário - Satanás. Ele será derrotado e cairá na Terra. Vivo, continuará resistindo e, diante do Mar - evocará aquele que é chamado de A Fera ou o Anticristo. A Fera, o Anticristo tem 7 cabeças e dez chifres. Corpo de pantera, rosto de leão, pés de urso. [Será uma força de liderança terrena].

A Besta - ou, o Adversário, confere ao Anticristo o poder realizar prodígios e assim, fascinar os homens e reinar sobre todas as nações. Sua imagem será adorada pelos povos e as populações poderão que tiverem na fronte e na mão direita a marca desta liderança serão controlados por ela. 666 Quem tiver inteligência calcule o número da Fera, porque é o número de um homem, e este número é seiscentos e sessenta e seis. [Apoc. 13:18]




O CONFLITO FINAL -  AS SETE TAÇAS DA CÓLERA DE DEUS
O cenário está pronto. Os partidários, definidos. É o momento do confronto final entre a Humanidade bestial e a Humanidade divina. Os ceifeiros de Deus estão prontos. Mais sete flagelos estão preparados: São AS SETE TAÇAS DA CÓLERA DE DEUS, DERRAMADAS SOBRE O MUNDO POR SETE ANJOS. São, sete eventos das LEIS DA NATUREZA. Porque isso é o Apocalipse para a Humanidade, o conflito entre os interesses humanos e as Leis da Natureza.
PRIMEIRA TAÇA: Produz uma úlcera atroz e maligna nos homens que têm o sinal da Besta e que se prostravam diante dela. DOENÇA.
SEGUNDA TAÇA: Seu conteúdo é derramado sobre mar, que transforma-se em sangue. Mais mortandade de criaturas marinhas.
TERCEIRA TAÇA: Agora, são as fontes de água potável que são contaminadas. POLUIÇÃO DAS ÁGUAS, PROLIFERAÇÃO DE MICRORGANISMOS. 

QUARTA TAÇA: Esta é derramada sobre o Sol... E os homens queimaram; e sufocaram em meio a um insuportável calor. Por isso, amaldiçoavam o nome de Deus. ELEVAÇÃO DE TEMPERATURAS, MUDANÇA CLIMÁTICA. 
QUINTA TAÇA: Esta é derramada diretamente sobre o trono do Anticristo ou, a sede de seu governo. Mas o Adversário e seus seguidores não se arrependerão de seus atos.
SEXTA TAÇA: É derramada sobre o rio Eufrates, secando o rio. Aqui um indicativo explícito. Oriente Médio. Iraque e países vizinhos.
SÉTIMA TAÇA: Seu conteúdo é derramado pelos ares e uma voz celestial dirá: Está Pronto. Mais uma vez a Terra será sacudida por terremotos, assombrada por relâmpagos e trovões e a sede do governo do Anticristo foi dividida em três partes (Não de todo improvável que esta sede seja Jerusalém).


BABILÔNIA, A BÊBADA ENLOUQUECIDA

A Sétima Taça marca a falência da Civilização nos moldes como funciona atualmente. No Livro do Apocalipse do apóstolo João este "Sistema" é chamado, recorrentemente de Babilônia. O Fim Deste Tempo é a Queda ou Derrota de Babilônia.

Babilônia é a Vida completamente voltada voltada para as coisas materiais, especificamente, para a febre de consumo compulsivo de "produtos". Compulsão, que escraviza as pessoas pelo desejo de possuir não mais aquilo que é realmente necessário, mas a imensa variedade de objetos que são ininterruptamente oferecidos pelas propagandas, os anúncios (estas são as tentações) oferecidas pelos mass midia.

Babilônia é este mundo onde todas as coisas tornaram-se produtos passíveis de serem explorados pelas industrias, fonte de enriquecimento monstruoso de uma minoria que nem tem mais o quê fazer enfiar tanto dinheiro. A indústria, o comércio e multidão de consumidores são tronaram-se uma teia gigantesca cujos nós ninguém mais poderá desfazer pacificamente. Uma teia que somente será rompida por meio de violência. Armadilha que já não pode ser desmontada mas, somente, destruída.

Nessa prisão angustiada, tudo é mercadoria: os carros, os computadores, os telefones celulares, sim. Mas também, a medicina, a religião, a educação, a opinião, a ética, a justiça, a dignidade, os seres humanos. TUDO ESTÁ À VENDA. Isso é uma aberração porque, na realidade, nem todas as coisas são vendáveis. Por mais que um homem queira vender sua alma, essa é uma transação impossível. Será sempre uma fraude, porque alma, consciência, são BENS pessoais intransferíveis e qualquer tentativa de mudar esse fato somente terá como resultado o inferno de uma tragédia.

Não é Deus quem castiga a Humanidade com as desgraças de um Apocalipse violento. Todas as referências Apocalípticas à uma Divindade aplicando punição são alegorias. O Apocalipse violento, no que diz respeito às guerras, doenças, rebeliões, caos da Civilização ̶ são conseqüências naturais do acúmulo de erros da própria Humanidade embriagada pela ânsia em torno de falsos valores atribuídos a coisas desimportantes, nocivas e supérfluas. A Humanidade está bêbada e bêbados, mais cedo ou mais tarde, fazem besteira.
Caiu, caiu Babilônia, a Grande.Tornou-se morada de demônios,prisão dos espíritos imundose das aves impuras e abomináveisporque todas as nações beberamdo vinho da ira e da luxúria,pecaram com ela os reis da terrae os mercadores da terrase enriqueceram com o excesso de seu luxoApocalipse, 19:1 ̶  Meditemos...
O CAVALEIRO DO CORCEL BRANCO ̶ O TORVELINHO DE FOGO
Eis que aparece um cavalo brancoSeu cavaleiro chama-se Fiel e VerdadeiroÉ com Justiça que ele julga e guerreia...Seu nome é Verbo de Deus...ele trás escrito no manto:Rei dos Reis, Senhor dos SenhoresApocalipse, 19:11
Com a queda do Mundo-Babilônia, colapso definitivo desta Civilização, ressurge e revela-se aquele que comandou todas batalhas, o primeiro Cavaleiro do Apocalipse em seu cavalo branco. Seus nomes indicam a natureza causadora de todos os acontecimentos determinaram o Fim Deste Tempo: Fiel e Verdadeiro Verbo de Deus Rei dos Reis Senhor do Senhores.


Significa que o Império materialista-consumista que tem bestializado os seres Humanos ao longo do desenvolvimento desta Civilização chegou ao Fim. Um fim natural e inevitável.A Verdade prevalece. A Natureza sempre foi Fiel às sua próprias Leis que são as chamadas Leis de Deus que são tão objetivas como as Leis da Ciências Físicas, Químicas, Biológicas, Astrofísicas, Noéticas (Metafísicas-Espirituais-Mentais).
Essas Leis sempre prevalecem, na terra e em todo o Universo. Em termos religiosos, a identidade do Cavaleiro Branco é óbvia: ele é o Verbo de Deus ou seja, o Cristo (o Verbo Encarnado), o Deus-Filho, As Leis que Regem a Ordem da Criação (porque todas as coisas Criadas são os Filhos de Deus, a Causa Primária).
E então, em meio à dor e às lamentações pelo Mundo-Babilônia destruído, todos aqueles que, mesmo se dizendo Cristãos ̶ durante dois milênios menosprezaram os ensinamentos do Meigo Rabi porque apresentou-se ao mundo como um homem cheio de mansidão e humildade, saberão por que o Primogênito do Criador, o primeiro Ser Criado do qual derivam todos os outros seres, também é chamado nas mais antigas escrituras orientais de FOHAT, O TORVELINHO DE FOGO.
Porque ele sempre foi um guerreiro que sabe manejar a espada e conduzir os exércitos das Forças da Natureza tão bem quanto soube ser o Mestre das Palavras que ensinavam o Caminho certo, o Caminho do qual a Humanidade se desviou.
***
edições: Sofä da Sala
novembro, 2012
[email protected]

***

FOHAT
Fohat é uma palavra tibetana que designa um dos conceitos mais importantes da Cosmogénese Esotérica. Tem o seu correlato no Eros da Mitologia Esotérica, no Apãm-Napât (”Filho das Águas”) dos Vedas e do Ahura-Mazda, no Daiviprakriti das Escolas Filosóficas Hindus, particularmente da Samkhya, e em Toom e Khepera do antigo Egipto.
“Fohat é uma coisa no Universo ainda não-manifestado e outra coisa no mundo fenomenal e cósmico”  ( In “A Doutrina Secreta”, de Helena Blavatsky (Ed. Pensamento, S. Paulo, 1973).

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário