Colômbia eleva nível de alerta por possibilidade de erupção de vulcão

Clique aqui para comentar esta publicação



29/05/2012
Milhares de pessoas receberam máscaras nas cidades próximas ao vulcão Nevado del Ruiz (centro-oeste da Colômbia), que na madrugada desta terça-feira começou a emitir cinzas, obrigando as autoridades a restringir as operações aéreas e a declarar o alerta laranja na região.

"Nesta madrugada foram registrados vários tremores na zona vulcânica, dos quais não sabemos a intensidade. Por isso, o nível de alerta foi elevado de amarelo para laranja", informou à AFP um porta-voz da Unidade Nacional de Gestão de Risco.

O nível amarelo significa apenas instabilidade, enquanto o laranja significa que "é provável que se haja uma erupção após alguns dias ou semanas", detalhou a instituição em um comunicado.

A atividade sísmica gerou uma emissão de cinzas que, com a força do vento, alcançaram os centros urbanos de Caldas, Risaralda e Valle, no centro-oeste do país.

Os aeroportos das cidades de Manizales, Pereira, Armenia e Cartago suspenderam suas atividades temporariamente pela presença das cinzas, indicou a assessoria de imprensa da Aeronáutica Civil à AFP.

Nessas cidades, máscaras foram distribuídas para a população, principalmente nas escolas.

A Gestão de Risco explicou que, até o momento, não houve necessidade de evacuar a população da região no entorno, embora "tenha advertido aqueles que vivem às margens dos rios que descem do vulcão para que tenham especial cuidado com a mudança do nível da água".

É a segunda vez que as autoridades declaram o nível de alerta laranja para o Nevado del Ruiz nos últimos dois meses.

Em 13 de novembro de 1985, esse vulcão entrou em erupção e gerou um degelo da cratera Arenas, o que provocou a elevação do nível do rio Gualí. O transbordamento arrasou a cidade de Armero (Tolima), provocando a morte de cerca de 20 mil de seus 29 mil habitantes.

A avalanche causou a morte de outras 3.000 pessoas de povoados vizinhos.


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário