Escândalo da Merck: uma ex-executiva - Brandy Vaughan - confessou tudo

Clique aqui para comentar esta publicação



 (vídeo em francês e inglês)


Na manifestação em favor da ‘liberdade vacinal’ em 9 de setembro de 2017 em Paris, conhecemos Brandy Vaughan, ex-executiva de alto nível da Merck, uma das empresas farmacêuticas mais poderosas do mundo, e ela saiu dali depois que descobriu que o Vioxx, medicamento que eles ajudaram a comercializar, acabou provocando a morte de várias centenas de milhares de pacientes em todo o mundo.


Entrevista:

Você afirma que a Merck estava plenamente consciente do perigo do Vioxx e que a empresa conscientemente mascarou esses dados de letalidade, você confirma isso hoje?

Você diz que as vacinas são menos testadas do que as drogas antes de serem colocadas no mercado?

O presidente Trump prometeu uma investigação federal em torno do suposto vínculo entre o autismo regressivo e a vacinação precoce da MMR, como está hoje?

Os EUA estão lidando com uma controvérsia científica que está no auge da discussão - a pertinência de uma vacinação contra a varicela (catapora) -, a França está temporariamente poupada, o que você acha?


******

O psicopata e o sociopata

Clique aqui para comentar esta publicação


Tipos e Níveis de Psicopatias

O psicopata e o sociopata
No site “Psicopatia – O perigo pode estar mais perto do que imaginamos”, podemos ler que:


“Dentre as variações da Psicopatia, o Psicopata Social é aquele que causa sofrimento a um grupo de pessoa, uma comunidade ou até mesmo a sociedade como um todo, sem esboçar qualquer arrependimento. Nada deixa esses indivíduos com peso na consciência. Não existe ramo de atuação humana onde se encontra mais esse tipo do que na política (com honradas exceções é claro). Estes manipuladores sociais roubam, mentem, trapaceiam, caluniam, e nunca acham que fazem alguma coisa de errado; não estão nem aí para o sofrimento alheio. 

Geralmente possuem uma esperteza superior, uma inteligência acima da média e habilidade para manipular quem está a sua volta. Não são Sábios, são inteligentes, porque o sábio usa o seu raciocínio e o seu saber para a resolução dos problemas dele e de todos, pensando sempre no crescimento e na felicidade coletiva.

Confissões de uma sociopata

Clique aqui para comentar esta publicação


NUNCA MATEI NINGUÉM MAS CERTAMENTE JÁ O DESEJEI


Professora de direito e catequista conta como se dedica a manipular e enganar as pessoas ao seu redor — usando muito charme e crueldade

por texto: M.E Thomas*, para Psychology Today | Ilustração: Shiko

Editora Globo
Talvez eu tenha um distúrbio, mas não sou louca. Num mundo povoado por seres melancólicos, negativos e medíocres, as pessoas são incrivelmente atraídas pelo meu excepcionalismo.